24 de novembro de 2019

8 de novembro de 2019

Medicina Medieval

Apresentação sobre Medicina na Idade Média para o Módulo "História da Medicina e da Bioética" - Eixo Humanístico - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, Paraíba, Brasil 
Autoria: Estudantes de graduação em Medicina da UFPB do III Período -  Gabriela de Alcântara Fonseca Maria Gabriela Porfírio Pereira Pablo Mariz de Oliveira Patrícia Oliveira Lima de Macedo 
Orientação: Profa. Rilva Lopes de Sousa Muñoz 

Apresentação 

Formato diapositivo
Formato livro

5 de novembro de 2019

Semio-Quiz: Erupção cutânea dolorosa e ulcerações nas extremidades

Figura 1

Paciente do sexo feminino, 59 anos, branca, apresentou erupção cutânea pruriginosa e dolorosa nos cotovelos, sobrepondo-se aos seus nódulos reumatoides. Seus antecedentes patológicos são de artrite reumatoide soropositiva agressiva (AR) , diabetes mellitus tipo 2 mal controlado, hipotireoidismo e fibromialgia. Faz uso de leflunomida e prednisona. No entanto, ela frequentemente descontinuava os medicamentos e não comparecia às consultas agendadas. Múltiplas outras drogas antirreumáticas modificadoras de doenças foram tentadas antes da combinação atual. Esses medicamentos incluíram metotrexato, hidroxicloroquina, sulfassalazina, adalimumabe e infliximabe. A erupção cobriu seus nódulos reumatoides nos cotovelos e antebraços, e piorou, aumentando em tamanho e gravidade, envolvendo as extremidades inferiores desde que ela interrompeu o uso de etanercepte. Fumou um maço de cigarros por dia durante vários anos e abusava de várias substâncias psicoativas.
Ao exame físico, a paciente apresentava múltiplos nódulos em um padrão linear envolvendo as extremidades superiores, inclusive cotovelos, antebraços e articulações metacarpofalangianas múltiplas de ambas as mãos (Figura 1, acima)
Nenhuma placa ou erupção cutânea petequial foi observada.
Nos dois anos seguintes, vários nódulos associados à AR apareceram, juntamente com uma piora na erupção cutânea (Figura 2).

Figura 2

Ela permaneceu inconformada com o regime de drogas. Novas ulcerações nas extremidades inferiores apareceram ao longo do tempo, que foram gerenciadas por cirurgiões vasculares, os quais encontraram evidências de gangrena seca. Pequenas ulcerações também estavam presentes na ponta dos dedos (Figura 3).
Figura 3

Qual dos seguintes é o diagnóstico mais provável?
- Vasculite induzida por drogas
- Estado de hipercoagulabilidade com trombose da pele
- Celulite
- Vasculite reumatoide
- Dermatite de estase
- Embolia séptica

Fonte: 
Mank VMF, Roberts JR. A 59-Year-Old Woman With a Painful Rash and Fingertip Ulcerations. Medscape, 11 de out de 2019. Disponível em: https://reference.medscape.com/viewarticle/919631?src=wnl_casechlg_191105_mscpref_reader&uac=258527DG&impID=2151393&faf=1
Tradução nossa.